Buscar
  • Transmaas BR

Mercosul - 31 anos


No dia 26 de março de 1991 foi assinado o Tratado de Assunção, dando início às negociações do então bloco econômico Mercosul.


O Tratado de Assunção foi um acordo assinado entre o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai com um intuito de criar um mercado comum entre eles, facilitando assim os trâmites de importação e exportação e reduzindo as tarifas.


Três anos mais tarde, em 1994, foi assinado o Protocolo de Ouro Preto, que serviu como um complemento ao Tratado de Assunção, fazendo com que ele fosse reconhecido juridicamente e internacionalmente como uma organização.


Além destes quatro países, a Venezuela também já fez parte do bloco entre 2012 e 2016, mas foi suspensa por não cumprir alguns critérios básicos de respeito à democracia e aos direitos humanos. Já os demais países da América do Sul são considerados membros associados do bloco.


A área do Mercosul é de aproximadamente 12 milhões de km ², o que corresponde a 72% do território da América do Sul, O Brasil ocupa mais de 65% desse espaço. Esta área é quase três vezes maior que a do bloco econômico mais importante do mundo, a União Europeia.



Importações e exportações


Um dos principais objetivos da criação do bloco é a busca da livre circulação de bens e serviços, e os países membros buscam a cada reunião uma aproximação e uma liberalização maior entre eles.


Em 1995 foi estabelecida a Tarifa Externa Comum (TEC), que consiste em um conjunto de tarifas sobre a importação para os países membros com base na Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), sendo assim, a TEC é um imposto de importação cobrado para países de fora do bloco, variando de 0% a 20%.


A Argentina é a terceira maior parceira comercial do Brasil, possuindo grande relevância nas nossas importações e exportações, sendo produtos da indústria de transformação os principais itens embarcados para o país, principalmente veículos e seus acessórios. Assim como nas exportações, os principais produtos argentinos importados pelo Brasil são os veículos automóveis, além do trigo e da energia elétrica, cuja demanda brasileira é bem maior.


O Paraguai, no entanto, se destaca ainda mais como grande exportador de energia elétrica para o Brasil, visto que a energia produzida na hidrelétrica de Itaipu pertence a ambos os países e como o Paraguai não requer tanta energia, boa parte vem para o Brasil. Nas exportações para o Paraguai, os destaques são os adubos, máquinas agrícolas, veículos e bebidas alcoólicas.


Já o Uruguai, que dentre os três membros é o que possui o menor fluxo comercial com o Brasil, obteve menos de 1% de participação nas exportações e importações no último ano. Dos produtos exportados, os principais destaques são o petróleo, veículos, carne suína e bovina. Já nas importações de produtos uruguaios, o destaque fica com a energia elétrica, cereais, leite, plástico e trigo.


2 visualizações0 comentário